segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ode à segunda-feira




Bendita seja a segunda
a que dizem: “Que horror!”
vomitando tédio & rancor
blenorragia, pus & coceira

Bendita segunda-feira
nas noites de lua-cheia
de uma música na cabeça
& o sangue solto nas veias
Bendita segunda-feira
que eu emendo com a terça
com a quarta, com a quinta & a sexta
começando outra semana
– que a ordem já não engana
& convém à ocasião
com samba, rock ou baião:
bem-vinda, segunda-feira!

Bem-vinda, segunda-feira
de cara bêbada & amassada
da acaralhadíssima privada
suja de vômito & de mijo
da fedentina que, digo
incensa a casa & a rua
sacralizando Dionísio
& a vela que é acesa
à Morte que, com certeza
espreita a todos & todas
tão certa – queira ou não queria

assim como és também, sim, sim, SIM...

... BENDITA SEGUNDA-FEIRA!



Um comentário: